Eu, Sonia Camillo Pires, sempre apaixonada por conhecer a alma humana, seu interior, seu avesso, para que pudesse ajudá-lo de alguma forma na tentativa de suavizar seus problemas, fazendo com que o mesmo (só, ou em parceria comigo, nos casos mais difíceis), consiga resolver seus conflitos internos, alcançando assim uma vida melhor, mais saudável e mais feliz.

        Após duas formações universitárias, consegui como “premio da vida” e muito empenho meu, realizar enfim meu grande sonho, fazer a “Faculdade de Psicologia”, pois esta era minha maior meta desde o início, mas as voltas que a vida dá apenas adiaram meu sonho, aí como já não era tão jovem, porém de surpresa a vida me forneceu a maturidade para realizá-lo com maior serenidade e respeito. Já casada, com filhos jovens, consegui atingir meu objetivo, portanto se você tem um sonho também poderá atingí-lo, basta que para isso nunca pense em abandonar seus objetivos por mais que pareçam difíceis.

        Quando fazia a “Faculdade de Psicologia”, mesmo não tendo a memória de uma adolescente e com muitas preocupações de uma dona de casa sempre me esforcei, porque esta profissão era meu sonho, e meu maior desejo era exercê-la.

        Aproveitando esses anos de estudo, procurei me interar de todos os assuntos referentes a área e que estivessem ao meu alcance como estudante, como freqüentar simpósios, palestras, congressos, cursos com 3 anos de Psicossomática, 1 ano de Psicopatologia e outros mais com o intuito de aumentar meu conhecimento sobre o assunto, até porque na hora do atendimento não queria que nada fugisse ao meu alcance, na tentativa de fazer sempre um trabalho honesto e com qualidade, afinal estaria trabalhando com a maior matéria prima do mundo: o ser humano.

        Minha idéia sempre foi tentar minimizar a dor emocional do ser humano, pois para esta dor não se pode comprar analgésico na farmácia.
E como dói !!!!!

        Você deve saber do que estou falando, pois como eu com certeza já passou por isso algum dia em sua vida, ou já viu alguém que você ama passar, sem nada poder fazer, não é?